sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Como saber a qual pacote pertence um arquivo no Slackware ?

Toda informações de um pacote instalado no Slackware ou derivado do mesmo fica /var/log/packages sendo o nome do arquivo formado pelo mesmo nome completo do pacote.

Suponhamos que você não saiba a qual pacote pertence o arquivo /usr/bin/startlxde

$ cd /var/log/packages

$ grep  startlxde *
lxde-common-20141008_8877e46-i486-1_SBo:usr/bin/startlxde
lxde-common-20141008_8877e46-i486-1_SBo:usr/man/man1/startlxde.1.gz

Vimos que o referido arquivo pertence ao pacote lxde-common-20141008_8877e46-i486-1_SBo

Agora querendo visualizar o conteúdo do pacote pode usar os comandos:

$ less lxde-common-20141008_8877e46-i486-1_SBo 

Também pode usar o slapt-get para ver o conteúdo do pacote, mas somente os que estão instalados.

$ slapt-get --filelist lxde-common-20141008_8877e46-i486-1_SBo 

ou omitindo a versão do pacote

$ slapt-get --filelist lxde-common


Notas:
O referido método funciona apenas para pacotes instalados pelas ferramentas slapt-get, swaret, sbopkg, slackpkg, installpkg e outras ferramentas exclusiva para instalação de pacotes da distro Slackware ou derivadas não citadas aqui.

Pacotes instalados diretamente com o comando rpm ou compilando os sources manualmente não funciona com a dica citada, já que não é utilizado nenhuma ferramenta de instalação de pacotes do Slackware.

Pacotes simples criado pelo comando tar em formato tgz com estrutura de diretórios do sistema pode ser instalado pelo installpkg e removido facilmente com o removepkg onde terá o arquivo de mesmo nome do pacote tgz em /var/log/packages apenas com as informações do tamanho comprimido e descomprimido e a listagem de arquivos com o caminho.


PS:
Nunca exclua os arquivos de  /var/log/packages manualmente, pois eles são essenciais para informações dos seus pacotes instalados.



quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Recuperando o seu sistema Salix



Nesta tutorial apresentarei como recuperar o seu sistema Salix de várias formas, a partir do LILO, ou de um CD/DVD/pendrive de boot do Salix ou de qualquer outra versão do Slackware a fim de recuperar o LILO, corrigir configurações erradas que impede o boot normal ou remover pacotes problemáticos com segurança, e apenas salientando que dependendo da versão instalada no HD e a versão da mídia usada para recuperar poderá surgir alguns probleminhas para ser contornados mas nada difícil de resolver pra quem já tem experiência com Slackware. Os procedimentos aqui citados podem ser aplicados também em distro Slackware instalada no HD.

Recuperando o sistema pelo LILO - método 1

Se o seu sistema não iniciar corretamente, deste que o LILO seja apresentado corretamente e esteja funcionando, você pode recuperar o sistema a partir do LILO, para tentar solucionar alguns problemas do seu sistema, como usar o fsck, ou editar arquivos de configuração que está impedindo o correto funcionamento do sistema ou remover drivers de vídeos por exemplo.

No menu do LILO, tecle TAB, digite o nome dado para o boot da sua distro, devendo ser exatamente igual ao do menu principal seguido de linux init=/bin/bash ro  (tecle Enter) 

Exemplo: salix linux init=/bin/bash ro 

O sistema será montado como somente leitura, iniciando em modo console real sendo apresentado um prompt de root sem precisar fazer login do mesmo. O sistema inicia diretamente na raiz /. 

Você poderá agora usar o comando fsck para corrigir o sistema de arquivos caso seja este o problema deste que você não tenha remontado a partição para leitura e escrita, pois isto danificaria o seu sistema de arquivos ao usar o fsck. 

Caso o problema não seja no sistema de arquivos e sim em arquivos de configuração ou drivers instalados para poder editar os mesmos ou remover os drivers você deve remontar a partição como leitura e escrita usando o comando mount conforme abaixo. 

# mount -o remount -rw / 


Características deste modo de recuperação: 

Por padrão o seu diretório HOME será a sua raiz do sistema em /. 
O path padrão é /bin /usr/bin e /usr/local/bin 
Alguns comandos não funcionarão como ps, free, etc já que o /proc não está montado não existindo os arquivos dentro dele. 
O caminho /sbin não faz parte do path padrão, onde contem os comandos runlevel, lilo, fsck,  mkfs e outros, devendo entrar no diretório /sbin para executar os comandos ou especificar o caminho completo junto com o comando. 
Os diretórios /tmp /proc /sys /run estão completamente vazios neste modo de recuperação. 

Executando alguns comandos para facilitar a manutenção do sistema

Para que os comandos ps, free e outros de informações do hardware funcione você deve montar o /proc caso necessitar. 

# mount /proc /proc -t proc  

Pronto, agora todos os arquivos de /proc aparecerão. 

Configuração do teclado 

Para o seu teclado funcionar corretamente neste modo de recuperação caso precisar de algumas teclas em um teclado abnt2. 

# loadkeys br-abnt2.map 

Outras informações:
O runlevel em uso é o 4 e 6. 

Como o comando reboot não faz parte do path pois está em /sbin 
# cd /sbin 
# ./reboot 

Para exibi o path digite: 
$ echo $PATH 

Dica:
Se você for alterar somente arquivos de configuração ou desinstalar pacotes problemáticos você pode iniciar a partição com leitura/escrita direta trocando o ro pelo rw no prompt boot do LILO.

Exemplo: salix linux init=/bin/bash rw 


Recuperando o sistema pelo LILO - método 2 


No menu do LILO, tecle TAB, digite o nome dado para o boot da sua distro, devendo ser exatamente igual ao do menu principal seguido de linux single (tecle Enter) 

Exemplo: salix linux single 

O sistema inicializa no modo console real sendo montado como leitura e escrita automaticamente no runlevel 1, onde será pedido seu nome de usuário e senha, e após feito você está no seu HOME. 

Características deste modo: 

O diretório /sbin faz parte do path padrão do sistema. 

Sua partição / e /proc são montadas normalmente bem como outras partições formatadas no formato Linux serão montadas caso estiver no seu fstab, mas partições com o filesystem ntfs que é usado o ntfs-3g para montar não serão montadas. 

Os serviços como samba, ssh, cups e outros não serão executados neste modo. 

O X Window não inicia neste modo, já que este modo é limitado, não sendo executado vários servidores na inicialização. 

Você pode editar arquivos de configuração ou desinstalar drivers problemáticos (slapt-get ou removepkg) neste modo com segurança já que o X Window não está ativo. 

Os diretórios /proc /sys e /run são criados com os seus respectivos arquivos normalmente. 
O seu teclado configurado funcionará normalmente, não sendo preciso reconfigurar.

Caso precisar baixar algum pacote do repositório faça antes:
# ifconfig eth0 up
# dhcpcd eth0

NOTAS: não será preciso configurar IPs, rotas ou DNS, sendo tudo feito automaticamente com os comandos acima.

Utilizando um live CD/DVD ou pendrive do Salix no boot

Este modo é bem mais fácil para novatos já que o sistema todo está sendo executado em um ambiente gráfico a partir de uma mídia removível, mas tem algumas limitações como não ter como remover pacotes da distro instalada no HD usando o gerenciador de pacotes. Este procedimento serve para corrigir arquivos de configurações e reinstalar o LILO. No caso de precisar usar o fsck a partição do seu sistema Linux deve obrigatoriamente está desmontada.

Utilizando um CD/DVD ou pendrive do Salix no boot sem o modo live

A instalação é em modo texto, no prompt boot, apenas tecle Enter, ao surgir a tela de configurar o teclado aceite o default ou escolha outro, na próxima tela em Salix Installation, escolha a opção Exit installation e tecle Enter. 

Agora no prompt de root você pode montar a partição que tem o Salix instalado a fim de corrigir arquivos de configuração ou recuperar o LILO. 

Recuperando o sistema com um DVD de instalação do Slackware - método 1

Você pode usar um DVD do Slackware de outra versão e arquitetura diferente da instalada no HD 
para este procedimento.

Apos o boot feito pelo DVD de boot,  no console monte a partição que tem o seu Salix instalado.

# mount -t ext4 /dev/sda6 /sda 
# chroot /sda 

Onde /dev/sda6 é a partição do Salix e /sda o ponto de montagem.
Agora você pode desfazer alterações em arquivos de configurações do sistema editando os mesmos ou recuperar o LILO.


Características deste modo:

Neste momento você não mais acessa o ponto de montagem com o comando cd e nem o diretório do caminho da sua mídia, sendo tudo realizado na partição montada ao usar o chroot.
Todos os comandos de console da partição montada funcionará agora como nano, lilo, nmap, etc.. 
Os diretórios mais comuns do path está incluído ao usar o chroot com /sbin /bin etc.. 
Ao usar o comando history será listado todos os comandos do seu histórico da partição montada. 
O comando lilo executado é o da distro instalada, pois o dvd de boot não tem o comando lilo. 
Se quiser sair do modo chroot, basta digitar o comando exit, ficando limitado então somente aos comandos que vem na mídia do DVD.

Recuperando o sistema com um DVD de instalação do Slackware  - método 2

Você pode usar um DVD de boot do Slackware de qualquer versão ou arquitetura diferente da sua instalação no HD sem problemas, onde foi utilizado a versão 13.1 (32 bits) e 14.0 (64 bits) no procedimento abaixo:

No prompt boot digite: 

hugesmp.s root=/dev/sda6 rdinit= ro 

ou 

huge.s root=/dev/sda6 rdinit= ro 

Onde /dev/sda6 é onde está instalado o Salix, substitua pelo seu. 

O sistema inicia normalmente carregando todos os scripts normais e configurações do sistema instalado no HD, mas poderá acontecer alguns erros em relação ao servidor X que não será levantado, basta apenas ignorar, selecionando Não diagnosticar e teclar Enter, sendo que os avisos referente ao servidor X varia conforme a versão do Salix ou Slackware instalado no HD.
Caso a tela fica parada sem exibir mais nada de novo, apenas tecle Enter para ser solicitado o user e a senha. 

Notas: 
Se o sistema ficar parado no final do processo de boot na tela não liberado o prompt, use as teclas CTRL+ALT+F2 para ir para o tty2, faça o seu login de root e pronto. 


Características:

O sistema é montado como leitura e escrita.
O servidor X em alguns casos até poderá ser levantado manualmente com startx, mas isto dependerá da versão da mídia usada no boot e a versão do sistema instalado, bem como o gestor de login gráfico e ambiente desktop default instalado no HD.
Com o boot feito desta maneira nem todos os servidores serão executados automaticamente e partições nfts configuradas com o ntfs-3g no arquivo /etc/fstab não serão montadas.
Para recuperar o LILO, digite o comando lilo e reinicie o computador, ou edite arquivos de configurações ou desinstale pacotes problemáticos com o slapt-get, removepkg, etc...


Nota Geral
Sistema instalado no HD: Salix 14.1 32 bits
O objetivo da dica foi a recuperação de um sistema instalado derivado do Slackware como exemplo o Salix usando a própria mídia da instalação ou uma mídia de uma versão qualquer do Slackware e a recuperação do sistema através do LILO.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Adicionando Cliparts no Abiword do Salix 14.1

O pacote do Abiword versão 3.0 no Salix 14.1  não vem com cliparts embutidos e nem tem o pacote dos mesmos no repositório e quando você acessar o menu Inserir/Porfolio..., exibirá uma mensagem que não existe cliparts.



Como adicionar cliparts ao Abiword

Basta criar o subdiretório clipart em /usr/share/abiword-3.0/

Você pode copiar para lá fotografias grandes nos formatos png, jpg e tif que a visualização das mesmas funcionar ao acessar o menu Inserir/Porfolio..., mas no caso de imagens muitos grandes se você tiver centenas delas a visualização das miniaturas demora vários segundos.

Se você tiver aqueles CDs de revista de informatica em que vem vários cliparts grátis ou baixado da internet copie todos eles para /usr/share/abiword-3.0/clipart para ter sempre disponível no Abiword, mas no caso das imagens serem muitos grandes faça um redimensionamento em lote de todas para um tamanho como 100x100, 200x200 ou 300x300 pixeis que a visualização será instantânea no Porfolio, além de ficar com um tamanho ideal para inserir em seu documento.

Execute o seguinte comando para conversão em lote das imagens em um terminal:

$ for foto in *.tif; do convert $foto -resize 200x200  /tmp/$foto; done

No diretório que tem as imagens, você executa a linha acima, trocado tif pela extensão das suas imagens e onde em /tmp será criado as novas imagens com o tamanho especificado ou próximo do mesmo e que terá exatamente o mesmo nome de arquivo das imagens originais, portanto as imagens originais não pode está em /tmp senão você perderá todas elas.
Após basta entrar no diretório /tmp e copiar todas as imagens para /usr/share/abiword-3.0/clipart.