terça-feira, 3 de abril de 2018

Montando o seu celular Android no Slackware pelo Spacefm

Esta dica é para quem esteja utilizando algum window manager minimalista e utiliza um único gerenciador de arquivos instalado no sistema, neste caso o spacefm.

O gerenciador de arquivos spacefm, permite acessar vários tipos de dispositivos pois ele possuir protocolos para lidar com os mesmos, mas para isto é preciso que você instale alguns comandos de terminal utilizado pelo protocolo desejado e adicione o comando no spacefm.

Primeiramente é preciso que você tenha instalado no seu sistema os pacotes libmtp e fuse.

Agora instalaremos o pacote jmtpfs que é o comando que montará o seu celular, sendo necessário ter o sbopkg instalado no seu sistema no caso do Slackware, mas esta dica pode ser utilizada em qualquer outra distribuição Linux utilizando o gerenciador de pacote nativo da mesma.

Instalando o pacote jmtpfs

# sbopkg -i jmtpfs 

Testando se o seu celular é reconhecido e está na base do mtp

Conecte o celular pelo cabo usb no pc com a tela desbloqueada e no celular selecione "Transferência de arquivos" (a partir do Android 6.0).

Na janela de terminal execute os comandos abaixo,  para ver se o mesmo é reconhecido.

$ lsusb
Bus 001 Device 002: ID 22b8:2e82 Motorola PCS 
Bus 001 Device 001: ID 1d6b:0001 Linux Foundation 1.1 root hub

$ jmtpfs -l 
Device 0 (VID=22b8 and PID=2e82) is a Motorola Moto G (ID2).
Available devices (busLocation, devNum, productId, vendorId, product, vendor):
3, 4, 0x2e82, 0x22b8, Moto G (ID2), Motorola

No resultado do jmtpfs acima vimos que o celular é reconhecido e suportado pelo mtp.

Fazendo a configuração

Crie um ponto de montagem a partir de /media que é onde o spacefm utilizar como padrão para montagem de qualquer dispositivo ou protocolo.

# mkdir /media/celular
# chmod 777 /media/celular

Agora devemos criar o arquivo /etc/fuse.conf com o conteúdo abaixo para poder montar o celular como usuário normal utilizando o editor de texto nano ou outro de sua preferência.

# nano -w /etc/fuse.conf

# Set the maximum number of FUSE mounts allowed to non-root users.                       
# The default is 1000.                                             
#                                                                              
# mount_max = 1000                                          
#Allow non-root users to specify the 'allow_other' or 'allow_root'   
# mount options.                                                     
user_allow_other    

Montando o celular como usuário normal

$ jmtpfs -o allow_other /media/celular
Device 0 (VID=22b8 and PID=2e82) is a Motorola Moto G (ID2).
Android device detected, assigning default bug flags

Verificando a montagem com os comandos df e mount

$ df -hT | grep mtp
jmtpfs         fuse.jmtpfs  1,5G -2,2G  3,6G    - /media/celular

$ mount | grep mtp
jmtpfs on /media/celular type fuse.jmtpfs (rw,nosuid,nodev,allow_other,user=nando)

$ ls /media/celular/
Cartão SD SanDisk/  Interno/

$ ls /media/celular/Cartão\ SD\ SanDisk/
Android/  Audio/  Bluetooth/  Contact/  DCIM/  Download/  Felicidade.mp3  LOST.DIR/  Mp3/  Videos/  lxde 1.png

Desmontando o celular

$ fusermount -u /media/celular

Fazendo a montagem diretamente pelo spacefm

Acesse menu Ferramentas/Novo comando (caso não existir nenhum item ainda) ou clique em qualquer item existem com o botão direito do mouse e escolha Novo/Comando.

Em Definir nome do item, digite: Montar celular
Na guia Comando, coloque somente: jmtpfs -o allow_other /media/celular

Não é necessário marcar usar terminal, e ao escolher a opção Montar celular do menu Ferramentas o celular será montado, podendo escolher entre Cartão SD Scandisk ou Interna para acessar os arquivos, aparecendo automaticamente o ponto de montagem em Dispositivos do lado esquerdo do spacefm se a exibição do mesmo estiver ativada.

Você poderá desmontar o /media/celular diretamente pelo spacefm, em Dispositivos, basta clicar em jmtpfs /media/celular com o botão direito do mouse sobre o mesmo e escolher a opção Desmontar.



Nota:
Seu usuário deve está no grupo plugdev do arquivo /etc/group.

Procedimento testado no Slackware 14.2 com Openbox com o celular Moto G4 Play (lançado em 2016) e um Samsung Galaxy Young Duos TV GT-S6313 (lançado 2013).


quarta-feira, 28 de março de 2018

Controlando os serviços do SystemD com systemctl

O comando systemctl pode ser usado para controlar os serviços do SystemD que é o novo processo de inicialização do sistema já adotado por várias distros como Debian, Ubuntu e outras e para podemos desativar serviços para não ser iniciados automaticamente a cada boot, parar serviço, carregar ou listar os mesmos, devemos conhecer as opções  mais  básicas  deste comando para lidar com os serviços do SystemD, caso venha precisar algum dia, e neste artigo utilizarei sempre o serviço cups-browsed.service como exemplo.

Listando todos os serviços em execução

$ systemctl -t service

Aplicando um filtro para procurar por um serviço.

$ systemctl -t service | grep cups
cups-browsed.service      loaded active running Make remote CUPS printers available locally                    
cups.service                    loaded active running CUPS Scheduler  
                    
Desativar um serviço para não ser mais executado automaticamente na inicialização


Vamos supor que você queira desativar o serviço cups-browsed para que o mesmo não seja mais carregado automaticamente na inicialização.

$ ps xa | grep cups
  376 ?          Ss     0:00 /usr/sbin/cupsd -l
  589 ?          Ssl    0:00 /usr/sbin/cups-browsed
 6358 pts/0    S+     0:00 grep cups

$ sudo systemctl disable cups-browsed.service

Verificando se o serviço cups-browsed.service foi desativado

$ systemctl is-enabled cups-browsed.service
disabled

Ok, vimos que o serviço foi desativado para não mais ser executado automaticamente, mas este serviço na sessão atual continua ativo ainda e funcionando, o qual podemos conferir de maneira simples com o comando ps.

$ ps xa | grep cups
  376 ?          Ss     0:00 /usr/sbin/cupsd -l
  589 ?          Ssl    0:00 /usr/sbin/cups-browsed
 6358 pts/0    S+     0:00 grep cups

Parando o serviço no sessão atual

Parar para o serviço cups-browsed na sessão atual execute o comando abaixo

$ sudo systemctl stop cups-browsed.service

Verificando:
$ ps xa | grep cups
  384 ?        Ss     0:00 /usr/sbin/cupsd -l
 1102 pts/0    S+     0:00 grep cups


Ativar um serviço parado na sessão atual

Para ativar o serviço cups-browsed na sessão atual que tinha sido parado ou que esta desativado para iniciar automaticamente.

$ sudo systemctl start cups-browsed.service

Verificando:
$ ps xa | grep cups
  384 ?        Ss     0:00 /usr/sbin/cupsd -l
 1230 ?        Ssl    0:00 /usr/sbin/cups-browsed
 1235 pts/0    S+     0:00 grep cups


Reativando um serviço para ser executado automaticamente a cada inicialização

Para reativar um serviço que foi desabilitando para que o mesmo não seja executado automaticamente a cada nova inicialização do sistema execute o comando abaixo.

$ sudo systemctl enable cups-browsed.service
Synchronizing state of cups-browsed.service with SysV service script with /lib/systemd/systemd-sysv-install.
Executing: /lib/systemd/systemd-sysv-install enable cups-browsed

Conferindo se o mesmo foi reativado

$ systemctl is-enabled cups-browsed.service
enabled

Verificando o estado de um serviço 

O comando systemctl status nome-do-serviço fornece informações mais completo sobre o serviço específico do que o comando ps xa, pois este último somente mostra os serviços em execução.

$ systemctl status cups-browsed.service
● cups-browsed.service - Make remote CUPS printers available locally
   Loaded: loaded (/lib/systemd/system/cups-browsed.service; disabled; vendor preset: enabled)
   Active: inactive (dead)

Neste exemplo o serviço cups-browsed.service está desativado para iniciar automaticamente, que é a parte disabled, após o nome do serviço, e o mesmo não está está sendo executado no momento, parte inactive da linha Active.

Agora vamos executar o serviço cups-browsed.service apenas nesta sessão atual.

$ sudo systemctl start cups-browsed.service
iniciando o serviço

Verificando novamente o status:

$ systemctl status cups-browsed.service
● cups-browsed.service - Make remote CUPS printers available locally
   Loaded: loaded (/lib/systemd/system/cups-browsed.service; disabled; vendor preset: enabled)
   Active: active (running) since Thu 2018-01-18 10:46:55 -02; 4s ago
 Main PID: 2119 (cups-browsed)
    Tasks: 3 (limit: 4915)
   CGroup: /system.slice/cups-browsed.service
           └─2119 /usr/sbin/cups-browsed

O serviço cups-browsed.service continua desativado para iniciar automaticamente, mas agora ele está em execução, parte active da linha Active.

O comando "systemctl status" quando usado sem especificar o nome de um serviço retorna uma Hierarquia em forma de raiz de todos os processos ativos exibindo também o seu pid, similar ao comando pstree.

quinta-feira, 15 de março de 2018

Utilizando notas autoadesivas no Linux com Xpad

Para ver seus lembretes  sempre que você entrar no seu desktop, instale o pacote xpad do repositório da sua distribuição, assim quando você iniciar sua sessão de desktop, serão exibidos automaticamente todas as suas notas na tela de uma vez, se o xpad foi configurado para iniciar junto com o seu desktop, e para ocultar todas as notas de uma vez basta clicar no ícone do xpad com o botão esquerdo do mouse no system tray, e fazendo o mesmo processo para a exibir todas de uma vez novamente.

Você pode personalizar suas notas com cores de fundo, fonte e tamanho sendo aplicado as todas as notas, ocultar os botões das janelas de notas que aparecem na barra de tarefas quando você exibir suas notas, remover a decoração das janelas (remove a barra de título que tem os botões minimizar, maximizar e fechar).

Para um uso mais prático para quem cria muitas notas faça do jeito abaixo caso lhe agradar.

Marque a opção "Hide all notes from the  taskbar and possibly the task switcher" que ocultará todos os botões das notas na barra de tarefas.

Não desmarque a opção "Show window decorations", pois com esta opção desmarcada
as notas ficarão sem a barra de títulos das janelas, não tendo como organizar as janelas para ficar por exemplo lado a lado uma da outra, pois o jeito que você organizar as posições das janelas elas ficam automaticamente salvas.

O xpad é um excelente utilitário para criar lembretes rápidos localmente no seu computador para fazer pequenas anotações para quem não precisa de agendamentos de data e hora para estas anotações.


 Agora para quem tem uma vida mais agitada ou tarefada e quer criar lembretes rápidos também no Smartphone para acessar de qualquer lugar com possibilidade de abrir no seu computador, se você tiver usando o navegador Google Chrome ou Chromium, instale a extensão Google Keep, podendo criar, editar e deletar sem precisar abrir o navegador web.

Para saber mais sobre o Google Keep acesse:

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Utilizando resolução de tela 1024x768 em netbooks com tela de 10.1" no Linux

Quem tem netbooks com tela de 10.1" sabem que o máximo de resolução disponível e default do mesmo é 1024x600 tanto no Windows e Linux, embora que o mesmo possa suportar resoluções bem maiores em ambos sistemas fazendo um configuração especial para isto, mas neste caso os ícones, menus e janelas ficaram menores, e com uma aparência achada e comprimida o que pode não agradar a muitos usuários, principalmente em resoluções muito altas.

A resolução 1024x600 default atende muito bem no geral sendo a ideal para o tamanho da tela de 10.1", mas tem alguns problemas com janelas secundárias de um programa e com algumas aplicações, como exemplo alguns itens do Painel de Controle do Windows, e quando você acessa Menu Editar/Configurações de uma aplicação e dependendo do tamanho desta janela secundária de configurações os botões de Cancelar e Ok que ficam na parte bem inferior não aparecem não tendo como clicar diretamente no botão desejado e não tendo como redimensionar esta janela em alguns casos, impossibilitando de efetuar as alterações tanto no Windows como no Linux.

Mas tem um outro tamanho de resolução que fica perfeito que é 1024x768 em display de 10.1" onde os ícones não ficam muito achatados e nem as janelas e você não mais terá o problema relatado acima com janelas secundárias, onde esta resolução é ideal para utilizar com pacotes Office de sua preferência.

Neste artigo, demostrarei somente como fazer no Linux, já que o Windows foi removido a muito tempo deste netbook, e também não recomendo utilizar resoluções maiores que 1024x768 devido a alta compressão que terá os ícones, menus e janelas ficando com aspecto muito ruim, e lembrando que você deve fazer o procedimento descrito aqui por sua conta e risco.

Em uma janela de terminal execute o comando xrandr para examinar as resoluções disponíveis e máxima suportada.

$ xrandr 
Screen 0: minimum 8 x 8, current 1024 x 600, maximum 32767 x 32767
LVDS1 connected primary 1024x600+0+0 (normal left inverted right x axis y axis) 220mm x 130mm
   1024x600      60.19*+
   800x600       60.32    56.25  
   640x480       59.94  
   512x300       60.00  
VGA1 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)
VIRTUAL1 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)

Veja que a resolução correta é 1024x600 e a mesma está sendo utilizada, na linha que tem o asterisco (1024x600      60.19*+).

Originalmente você somente poderá escolher as seguintes resoluções 1024x600, 800x600, 640x480 e 512x300 não importa qual é o seu sistema seja Windows/Linux pois será a mesma coisa em ambos sistemas.

Agora vamos aplicar a resolução 1024x768 usando o comando abaixo:

$ xrandr --output LVDS1 --mode 1024x600 --panning 1024x768 --scale 1.0x1.28

Com a resolução 1024x768, os ícones ficam um pouquinho achatados bem como o menu e todo
resto, mas nada tão drástico que fique feio e o seu espaço da área de trabalho aumentou bastante agora. Apesar de o netbook poder suportar resoluções maiores que 1024x768 é recomendado não utilizar acima de 1024x768, pois o visual dos ícones ficará completamente desagradável e além de um tamanho muito pequeno podendo danificar o seu netbook com uso diário ao longo do tempo numa resolução muito alta e mesmo porque uma resolução muito alta numa tela de 10.1" não fica nada bem para se utilizar.

Conferindo:  

$ xrandr
Screen 0: minimum 8 x 8, current 1024 x 768, maximum 32767 x 32767
LVDS1 connected primary 1024x768+0+0 (normal left inverted right x axis y axis) 220mm x 130mm panning 1024x768+0+0
   1024x600      60.19*+
   800x600       60.32    56.25  
   640x480       59.94  
   512x300       60.00  
VGA1 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)
VIRTUAL1 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)

Ao aplicar com o xrandr a resolução 1024x768, veja que ela não está disponível para ser trocada por outra resolução nas opções de troca de resolução feita por meios normais e padrão, seja ela feita pelo xrandr ou por qualquer outro aplicativo gráfico de troca de resolução do monitor do seu ambiente gráfico.

Para voltar a resolução default 1024x600 tem que usar exatamente na forma  conforme abaixo:

$ xrandr --output LVDS1 --mode 1024x600 --panning 1024x600 --scale 1.0x1.0

Conferindo:

$ xrandr
Screen 0: minimum 8 x 8, current 1024 x 600, maximum 32767 x 32767
LVDS1 connected primary 1024x600+0+0 (normal left inverted right x axis y axis) 220mm x 130mm panning 1024x600+0+0
   1024x600      60.19*+
   800x600       60.32    56.25  
   640x480       59.94  
   512x300       60.00  
VGA1 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)
VIRTUAL1 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)


Notas gerais

A resolução 1024x768 aplicada é temporária pois ao reiniciar o pc, ou fazer um novo longoff, ela volta pra o padrão 1024x600. 

As aplicações Office, reproduzir vídeos em fullscreen, navegar na internet e jogos tipo paciência ou quebras cabeças e outros que são do tipo parados e que não utilizam SDL ou aceleração 3D não modifica a resolução 1024x768 ou seu aspecto da tela.

Você pode suspender o netbook sem problemas que ao voltar da suspensão a resolução 1024x768 permanece inalterada.

Problemas encontrados:
Ao executar games de movimentos rápidos tipo solarwolf, penguin-command, que utilizam SDL, games 3D ou que requerem aceleração gráfica ou games via wine, a resolução permanecem a mesma na listagem do xrandr na linha Screen em current, mas a área será expandida na vertical ficando bem maior, tendo que rolar a tela com o mouse para conseguir acessar o menu de programa na parte inferior ou o menu da janela na parte de cima, e tendo que fazer um logoff para voltar a resolução default do sistema, pois não adianta escolher uma resolução no xrandr ou em qualquer app gráfico para tela do monitor, pois o servidor X tem que ser reiniciado para voltar ao normal.

Para usar o netbook com jogos de movimentos você tem que usar sempre a resolução default 1024x600.

Utilizando a resolução 1024x768 automaticamente ao iniciar o seu ambiente desktop

Se você vai usar o netbook somente para trabalhar com Office, navegar na internet, reproduzir vídeos e áudio você pode criar um arquivo .desktop para carregar automaticamente  a resolução 1024x768 toda vez que você entrar no seu ambiente gráfico, como Xfce, Lxde, Mate e outros que utilizam arquivos .desktop.

Crie o arquivo tela768.desktop em ~/.config/autostart com o conteúdo abaixo, onde a resolução 1024x768 será aplicada automaticamente assim que fizer o seu login gráfico ou toda vez que você reiniciar sua sessão desktop.

[Desktop Entry]
Encoding=UTF-8
Version=0.9.4
Type=Application
Exec=xrandr --output LVDS1 --mode 1024x600 --panning 1024x768 --scale 1.0x1.28
StartupNotify=false
Terminal=false
Hidden=false

Caso queira desativar a resolução 1024x768 temporariamente ou por algumas sessões, comente a linha Exec do arquivo tela768.desktop e faça um logoff com isto o servidor X será reiniciado, voltando para a resolução default do sistema que é 1024x600.

Para voltar a resolução default sem fazer um logoff e sem alterar o arquivo tela768.desktop pode usar o comando abaixo, mas deste que não tenha executando qualquer jogo que utiliza SDL ou que usa aceleração 3D, pois neste caso será preciso reiniciar o servidor X fazendo um logoff para pode aplicar a resolução default manualmente em linha de comando.

$ xrandr --output LVDS1 --mode 1024x600 --panning 1024x600 --scale 1.0x1.0

Para facilitar mais ainda crie um script para as duas linhas citadas do xrandr, para quando precisar alternar entre uma resolução e outra sem precisar fazer um logoff para reiniciar o servidor X, salvando os scripts em
/usr/local/bin com permissão x e com o nome de sua preferencia.


Procedimento feito no netbook Samsung modelo NP-N150 tela 10.1" utilizando o Lubuntu 16.04 64 bits.


segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Sbopkg_gui a sua central de programas para o Slackware




A interface gráfica sbopkg_gui não é tão bonitinha como a Central de Programas do Ubuntu e de outras distros, com ícones, imagens e outras perfumarias mas ela faz o seu papel igualmente bem, que é a de oferecer ao usuário todos os programas disponíveis do repositório Slackbuilds de uma maneira fácil para instalação ou remoção dos pacotes.

Embora que os pacotes precisem ser baixados e compilados antes de ser instalado no seu computador pelo sbopkg, diferente de outras distros, onde a Central de Programa delas, apenas baixa os pacotes que são binários e a seguir os instala, o sbopkg_gui acaba desempenhando exatamente o mesmo papel de qualquer  Central de Programas, apenas com um passo a mais.

Pela interface gráfica, você pode procurar facilmente se existe o pacote desejado, basta você selecionar uma Categoria e procurar o seu pacote rolando a tela, mas se não tem certeza em qual Categoria o pacote está, selecione (all) e digite o nome do pacote na caixa de pesquisa, onde não será feita distinção de maiúscula/minuscula e não precisando digitar todo o nome do pacote, pode ser qualquer parte do nome do pacote (inicio,meio,fim), onde será listado todas as ocorrências que atende ao critério da pesquisa a medida que você digita.

Para procurar por exemplo pelo programa gráfico I-nex que faz um levantamento completo do seu hardware que pertence a Categoria system e supondo que você não saiba em qual Categoria o mesmo se encontra, você seleciona (all) e na caixa de pesquisa você pode digitar somente nex, onde será listado todos os nomes de pacotes que tenha esta palavra como parte do nome do mesmo.

Para usar o sbopkg_gui, você tem que ter instalado no seu sistema o sbopkg, pois o mesmo é apenas uma gui gráfica para sbopkg que facilita muito para quem procura programas que não vem junto com o seu sistema ou que está a procurar programas ou jogos que não conhece ainda pra experimentar, e a gui gráfica atende também aqueles usuários que  não tem muita intimidade com o terminal.

Um adicional da gui é que ela também permite a desinstalação de pacotes instalados pelo sbopkg e de outros gerenciadores de pacotes como slapt-get, slackpkg  e outros feito para o Slackware destes que os nomes dos pacotes instalados pelos gerenciadores de pacotes possuírem exatamente o mesmo nome (neste caso especifico é feito distinção de maiúscula/minuscula e a versão do pacote não é considerada) que estão em https://slackbuilds.org/. 


Download do sbopkg: sbopkg

Download da gui gráfica: sbopkg_gui
Baixe a versão do pacote mais recente do sbopkg_gui.

Importante:
Para usar o sbopkg_gui pelo atalho do seu menu de programa você deve ter o sudo habilitado para o seu usuário normal com poder de administrador do sistema, ou então acesse uma janela de terminal e use o comando abaixo, fornecendo sua senha de root.
gksu sbopkg_gui



sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

QuiteRSS leitor de feed pra desktop



Quer ficar por dentro de todas as postagens recentes de seus blogs e sites favoritos sem precisar está acessando toda a hora para ver ser tem algo novo ? 

Instalando o QuiteRSS você será avisado automaticamente sempre que entrar algum novo feed com um aviso sonoro e um popup no tempo que você configurou.

QuiteRSS é ótimo leitor de feeds para desktop, permitindo ler as noticias ou um resumo dela podendo abrir nele ou externamente no seu navegador, com recurso de localizar palavras que estão nas noticias. O QuiteRSS vai pra o system tray, mostra quantas foram lidas e não lindas, permite ainda configurar o tempo para pesquisar por novos feeds automaticamente.

Instalando QuiteRSS no Slackware e Salix

Se você tiver o sbopkg instalado e o sudo habilitado apenas faça:

$ sudo sbopkg -i QuiteRSS

Para outras distros procure por QuiteRSS no seu repositório.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Criando ações personalizadas para o pcmanfm no Slackware



Crie o diretório ~/.local/share/file-manager/actions/ caso ele não exista.

Crie os arquivos abaixo:

Item para visualizar imagens com programa o de sua preferência

Arquivo foto.desktop

[Desktop Entry]
Type=Action
Name=Ver fotos  (nome que aparecerá no menu suspenso do mouse no pcmanfm)
Profiles=on_files;

[X-Action-Profile on_files]
Exec=geeqie %F
TryExec=/usr/bin/geeqie
Name=Send files with Geeqie
MimeTypes=image/*;

Neste exemplo a opção "Ver fotos" somente aparecera no menu se você selecionar uma foto, caso selecione uma pasta com fotos, não aparecerá o item "Ver fotos" no menu.
A linha Icon= é sempre opcional.

Item para abrir a pasta atual ou selecionada como usuário Root

Arquivo pcmanfm-root.desktop 

[Desktop Entry]
Type=Action
Tooltip=Open Folder As Root
Name=Abrir pasta como root
Profiles=profile-zero;
Icon=gtk-dialog-authentication

[X-Action-Profile profile-zero]
MimeTypes=inode/directory;
Exec=/usr/bin/gksu /usr/bin/pcmanfm %u
Name=Default profile

Abre a pasta atual ou a pasta selecionada como root ao escolhar a opção do menu suspenso do mouse ao escolher "Abrir pasta como root".

Sempre que for usando o gksu para abrir um programa como root, a janela do programa não utilizará o tema atual em uso do seu user e sim o tema padrão da instalação para esta janela ou do Root.

No caso do Slackware sempre deve digitar a senha de root e não a senha de usuário com poder de root configurando para usar o sudo, pois ser não digitar a senha de root, não funcionará.

Item para anexar um arquivo no e-mail

Arquivo email.desktop 

[Desktop Entry]
Type=Action
Name=Enviar por e-mail
Profiles=on_files;

[X-Action-Profile on_files]
Exec=thunderbird %f
TryExec=/usr/bin/thunderbird
MimeTypes = all/allfiles;

Somente funciona a anexação de arquivo no e-mail com a seleção de 1 arquivo, caso você selecione mais de um arquivo somente será anexado o primeiro arquivo, mesmo que você utilizar o parâmetro %F na linha do Exec.


Item para editar texto ASCII

Arquivo editor.desktop

[Desktop Entry]
Type=Action
Name=Editar texto
Profiles=on_files;

[X-Action-Profile on_files]
Exec=leafpad %f
TryExec=/usr/bin/leafpad
Name=Editar e abrir texto
MimeTypes=text/plain;


A opção "Editar texto" do menu suspenso do mouse, somente aparecerá se você selecionar um arquivo de extensão txt ou .conf, não aparecerá se você selecionar .html, .log, ou script .sh mesmo que todos eles seja de texto ASCII puro.


Item para editar texto ASCII como Root

Arquivo editor-root.desktop

[Desktop Entry]
Type=Action
Name=Editar texto
Profiles=on_files;
Icon=leafpad

[X-Action-Profile on_files]
Exec=gksu leafpad %f
TryExec=/usr/bin/leafpad
Name=Editar e abrir texto
MimeTypes=text/plain;


Item para colocar imagem como papel de parede

Arquivo wallpaper.desktop

[Desktop Entry]
Type=Action
Name=Setar Wallpaper
Profiles=profile-zero;
Icon=preferences-desktop-wallpaper

[X-Action-Profile profile-zero]
MimeTypes=image/*;
Exec=/usr/bin/pcmanfm -w %f
Name=Default profile

A imagem selecionada é aplicada como papel de parede na hora e a mesma continuará como papel de parede ao fazer um novo logoff ou reiniciar o computador.

A opção "Setar Wallpaper" somente aparecerá no menu suspenso do mouse se você selecionar um arquivo de imagem, sendo testado com fotos jpg e png e o papel é colocado no modo que tiver configurando em Preferências da área de trabalho. 

Nota:
Se a imagem estiver em outra partição, esta partição deve montada automaticamente para que o papel de parede seja exibido assim que você entrar no seu desktop.

Item para copiar arquivos para uma pasta especifica

Arquivo copiador.desktop

[Desktop Entry]
Type=Action
Name=Copiar pra partilha
Profiles=profile-zero;
Icon=xterm

[X-Action-Profile profile-zero]
MimeTypes=all/allfiles;
Exec=xterm -g 100x15 -fa 'Luxi Mono' -fs 14 -hold -e cp -v  %F /mnt/partilha 

Este comando copia um ou mais arquivos selecionados para /mnt/partilha, sendo que não funciona com seleção de pasta, neste segundo caso nem será listado a opção "Copiar pra partilha" do menu suspenso do mouse.

Item para escanear arquivos com o Clamav

Se sua distro não tem o pacote do Clamtk ou você não consegui compilar o mesmo, esta ação é de grande ajuda para escanear arquivos.

Arquivo clamav.desktop

[Desktop Entry]
Type=Action
Name=Clamav
Profiles=on_files;
Icon=/usr/share/icons/clamav24.png

[X-Action-Profile on_files]
MimeTypes=all/allfiles;
Exec=xterm -hold -fn 10x20 -e clamscan --bell -i -r  --verbose -l  /tmp/clamav.log %F 
Name=Default profile

Somente funciona com seleção de arquivos, se você selecionar uma pasta junta não aparecerá a opção "Clamav" do menu suspenso do mouse.

Depois de exibir o resultado do escaneamento é só fechar a janela de xterm e caso tinha sido encontrado algum vírus abra o arquivo  /tmp/clamav.log  para examinar e opte por excluir o arquivo infectado ou mover para um diretório de quarentena para tentar limpar com um antivirus no Windows caso seja muito importante este arquivo.

Nota:
Os subdiretórios não serão escaneados através da ação personalizada do pcmanfm mesmo que esteja especificada na linha de comando do Exec.

Item para criar link 

Arquivo link.desktop

[Desktop Entry]
Type=Action
Name=Symblink
Icon=emblem-symbolic-link
Profiles=symlink;

[X-Action-Profile symlink]
Exec=ln -s %f %f-link
MimeTypes=*;

Na pasta que tem o arquivo ou pasta que você deseja obter o link dele no pcmanfm selecione o arquivo ou a pasta e escolha a opção "Symblink" do menu suspenso do mouse, onde será automaticamente criado o link com o mesmo nome inicial do arquivo ou pasta, mas que terá sempre o sufixo -link (final do nome).
Mova o arquivo nome-link criado para a pasta onde você deseja colocar o atalho e pronto.

Você pode excluir o arquivo nome-link que o original ficará intacto, mas para criar o link você tem que ter permissão de gravação na pasta.

Os arquivos de link com nome-link tem a setinha em cima do ícone quando visualizado através do pcmanfm ou de qualquer outro gerenciador de arquivos desktop, bem como sua cor azul esverdeado com o simbolo de @ no final do nome do mesmo quando visualizado na janela de terminal.